sábado, 14 de março de 2009

O Remédio Para Todos os Males

Não... esta não é a propaganda daquelas garrafadas milagrosas ou de curandeiros capazes de qualquer milagre: de desvio de coluna até espantar fenômenos sobrenaturais ou mesmo trazer seu time de volta à primeira divisão do Campeonato Brasileiro.

Constantemente as pessoas se perguntam o que poderiam fazer para melhorar o seu desempenho profissional, a sua colocação na empresa, perder a vergonha de falar em público, ser mais sociável, ter mais habilidade com as situações e tantos outros questionamentos que sempre aparecem.

A resposta que acredito é simples: Leitura.

A capacidade criativa é desenvolvida desde a infância, livros infantis, teatros, pintura, exercícios cognitivos, tudo tem um reflexo no futuro. Imaginar saídas criativas para problemas (o que se chama por aí de inovação), desenvolver novas perspectivas de negócios (vulgarmente conhecido como empreendedorismo) e tantas outras habilidades que as empresas exigem de seus contratados, começam lá no passado, na leitura e no convívio com aqueles que lêem.

Felizes daqueles que estimulam suas crianças à leitura, que mostram um universo imaginário mesmo antes dos pequenos aprenderem a ler. Não espere como num passe de mágica que seus filhos aprendam a desenvolver este hábito. Aqui a osmose não funciona. O exemplo continua sendo o melhor antídoto à falta de imaginação.

Se os jovens soubessem que dentro dos livros encontram-se respostas que a puberdade apenas insiste em fustigá-los, talvez lessem mais. Aqueles problemas existenciais também são contemplados nos livros. As diferenças entre homens e mulheres também. Até as aulas de história seriam ainda melhores com um livro que relata acontecimentos da época estudada.

Se os adultos soubessem que para viajar não é necessário esperar o período das férias do trabalho e que se vai de um pólo ao outro do mundo apenas virando uma página, talvez o universo de cada um fosse um pouco maior, os sonhos mais tangíveis, os medos menos dominadores e as realizações mais prazerosas.

Alguns podem reclamar “mas o livro é muito caro no Brasil”, até onde eu sei, bibliotecas públicas não cobram por seus empréstimos, amigos sempre tem alguns livros disponíveis (mas faça o favor de devolvê-los nas mesmas condições que lhe foram emprestados) e até mesmo a internet tem uma imensidão de arquivos digitalizados para download.

Ah! Tem a desculpa do sono: “eu começo a ler e durmo...”. Isso é compreensível, o cérebro não está acostumado a concatenar idéias, fatos e personagens, pode parecer cansativo a princípio... mas como todo exercício físico, depois de um breve tempo, o corpo se acostuma e faz um bem enorme.

Se você leu este artigo até o fim, já é um princípio. Agora aproveite o exercício, escolha um livro e comece a crescer. Perceba que o mundo é maior do que você imaginava... e o melhor: está ao alcance de suas mãos!

Um comentário:

Catia disse...

Tudo isso que você disse é fato! Vejo pela minha sobrinha, que, no auge de seus 6 anos, tem ótimos argumentos para tudo que fala e para o que falam para ela. Definitivamente, é a minha ídola. Dialogar com ela é algo relaxante e um aprendizado enorme. Às vezes, eu não tenho argumentos bons para os questionamentos avançados da pequena mestra! Beijo, João!!!